Aventuras nos Reinos Esquecidos

Resumo - Sessão 2

Presentes: Bale, Draax, Irtak, Kael, Solomon

Irtak e Elazar chegam à escola de magia de Baldur’s Gate. Elazar oferece lugar em seus aposentos, em uma torre de três andares, e o druida aceita. O mago então aconselha o elfo a procurar a ajuda dos punhos flamejantes para encontrar o culto de Malar. Irtak se dirige até o quartel dos punhos flamejantes e conta aos guardas que há um culto maligno de Malar na cidade. Os guardas não acreditam, mas aceitam avisar o druida se algo estranho acontecer. Ao retornar à torre, Irtak encontra sua besta de Malar – criatura que o havia ajudado e o seguiu até a cidade – brincando com Elazar.
No templo de Kelemvor, Bale conversa com os clérigos que se dispuseram a entrar nas catacumbas em busca de Oneah, o clérigo perdido. Estes falam que Gavaror não deseja que eles façam parte do grupo. O paladino diz a Gavaror que poderá precisar da ajuda dos clérigos, dependendo de quantos aventureiros se apresentarem no dia seguinte.
Kael retorna à taverna e diz para Darfel que não irá participar da caça ao meio-dragão. Depois, o lâmina maldita resolve se hospedar na mesma taverna de Draax. No caminho, porém, uma mulher chamada Liassa pede sua ajuda, pois homens estariam atacando uma casa. Kael aceita ajudar e, chegando ao local, se depara com regiões de escuridão mágica e três homens fazendo guarda na rua. Kael enfrenta os homens e, com a ajuda dos poderes de cura de Liassa, os derrota. Após o combate, um homem com o símbolo de Cyric aparece, imobiliza Kael com uma magia, cega Liassa com outra e sai do local. Quando o efeito da imobilização cessa, Kael leva Liassa até os punhos flamejantes, onde eles relatam o ocorrido e após, ajuda a cega curandeira a chegar em casa.
Solomon conversa com Taryel sobre sua missão do dia seguinte e revela que, apesar de ter se prontificado a recuperar a espada para Portyr, não é um ladrão e, dependendo da situação, não traria a arma das catacumbas.
Draax tenta questionar Lavi sobre o colar, mas a halfling se evade das perguntas até uma confusão no andar inferior da taverna chamar a atenção do meio-dragão. A confusão sobe as escadas e bate a sua porta, se revelando ser Kael. Draax se recusa a falar com o lâmina maldita, mas um guarda, para evitar a confusão, decide abrir a porta. Kael mostra a Draax dois cartazes: um deles mostra que o colar de Lavi está sendo procurado, o outro, pede a ajuda de aventureiros no templo de Kelemvor. Lavi desaparece sorrateiramente durante a conversa. Kael e Draax decidem ir ao templo juntos no dia seguinte para oferecerem seus serviços.
Durante a noite, Irtak tem pesadelos como o habitual, mas ele também sonha com um túmulo aberto e com o templo de Kelemvor. Na manhã seguinte, o elfo decide ir até o templo e observar o túmulo, levando a besta de Malar consigo.
Bale e Gavaror esperam os recrutas na frente do templo. Os clérigos Lasga, Adrianne e Ulisses oferecem sua ajuda. Solomon logo se junta a eles. Irtak aparece, embora sem saber da missão de resgate. O druida pergunta pelo túmulo, chamando a atenção de Gavaror. O Alto sacerdote pergunta como ele conhece o túmulo e Irtak acaba revelando que o viu em um sonho. Como o túmulo se encontra dentro das catacumbas, o druida se oferece a entrar para o grupo de busca. Logo, Kael e Draax aparecem para completar o grupo. Bale tenta sentir se algum dos participantes do grupo é maligno e, para sua surpresa, Lasga e Kael se revelam malignos.
Irtak percebe a magia feita pelo paladino, mas mantém a informação. Gavaror chama Bale para explicar que seus poderes podem lhe enganar, que nem sempre a maldade é o inimigo, o inimigo real é o caos. Mesmo assim, Bale decide pedir a Lasga para que fique guardando a porta de entrada da tumba e não entre com o grupo. Gavaror entrega um escudo mágico a Bale para ajudá-lo na busca.
Draax garante a Irtak que, apesar de ser um meio-dragão vermelho, ele não é maligno. Kael confirma a informação.
A porta da catacumba só pode ser aberta por um servo de Kelemvor e Bale pede para que Lasga o faça. O clérigo maligno consegue abrir a porta, e o grupo adentra a escuridão das masmorras. Ao entrar no local, todos sentem um terrível sentimento de que estão em um local maligno. Irtak e Solomon reconhecem que a área está profanada.
Em determinada parte do percurso, o grupo ouve a porta de entrada se fechando e se depara com uma escuridão mágica, semelhante à que Kael havia encontrado na cidade. Os clérigos de Kelemvor conseguem dissipá-la, apenas para revelar um grupo de mortos-vivos: esqueletos, zumbis e lívidos atacam o grupo.

Comments

obrigado por isso, MESMO.

Resumo - Sessão 2
Artur_Richter

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.