Aventuras nos Reinos Esquecidos

Resumo - Sessão 1

Presentes: Bale, Draax, Irtak, Kael, Solomon

Kael, um lâmina maldita, chega a Baldur’s Gate pelo porto e logo percebe que a cidade está tumultuada. Os guardas, chamados punhos flamejantes, tentam controlar o fluxo de pessoas perguntando seus dados e cobrando uma taxa para a entrada. Kael se dirige a uma taverna, aluga um quarto e observa os cartazes de anúncios. Os que mais lhe chamam a atenção são os cartazes de procurado de um homem chamado de O Coruja e uma mulher chamada Keene Nove Dedos, e um cartaz oferecendo trabalho nos punhos flamejantes. Kael busca mais informações com Barargos, capitão da guarda. Ao ser testado em combate, Kael surpreende e se mostra promissor, mas ao ser questionado de sua vida pregressa em uma zona da verdade, ele desiste de se unir aos punhos flamejantes.
Enquanto isso, Solomon, um feiticeiro, estava em seus afazeres habituais quando é solicitado por Portyr, um importante nobre, para resolver um problema na cidade. O problema consiste em ajudar um homem no templo de Kelemvor, e Solomon decide ir verificar. Ao chegar ao templo, Solomon conhece Gavaror, alto sacertode de Kelemvor, que pede sua ajuda para montar um grupo que consiga resgatar um clérigo de Kelemvor perdido nas catacumbas. As catacumbas são milenares, com muitos corpos enterrados , então, o alto sacerdote acredita que podem ser alvo de necromantes. Solomon aceita a missão e decide falar novamente com Portyr para ajudá-lo a reunir um grupo.
Ao final da tarde, na estrada que leva a Baldur’s Gate, dois viajantes ingressam na cidade sem se conhecer: Draax, um meio-dragão, e Bale, um paladino de Kelemvor. Ambos veem que a cidade recebe uma grande quantidade de pessoas, refugiadas da praga mágica. Draax adentra a cidade em busca de uma taverna, mas no caminho se depara com Lavi, uma halfling. Lavi pede ajuda a Draax, mentindo que ladrões haviam roubado sua família. O meio-dragão acredita e a segue até uma taverna, onde três homens bebem em uma mesa. Os homens reconhecem Lavi, mas ela incita Draax a fazê-los devolver um colar. Os homens cautelosamente cercam o grande meio-dragão, mas fogem quando uma de suas armas é quebrada, deixando para trás o colar.
Bale anda até o templo de Kelemvor na cidade e encontra o alto sacerdote. O paladino acha estranho o comportamento de Gavaror com relação ao Deus da morte, mas não questiona sua fé. O sacerdote explica a Bale sobre os problemas nas catacumbas e avisa que Solomon está convocando um grupo, mas que não deve confiar no feiticeiro. Bale vai em busca de Solomon para se oferecer à busca e ajudá-lo a compor o grupo.
Irtak, um elfo druida de Selûne, caminha pela estrada quando escuta o som de uma carroça. O comportamento estranho do elfo chama atenção de Elazar, um mago de Candlekeep que se dirigia a Baldur’s Gate. Irtak desconfia do estranho e mente sobre seu propósito na cidade, mas logo percebe que o mago é bondoso e ingênuo. O druida aceita a carona na carroça e ajuda Elazar a guiá-la mais rápido. Irtak revela que também é um mago, mas desconversa ao ser perguntado onde havia aprendido magia.
Voltando à taverna, Kael encontra um homem chamado Darfel. Este homem se intitula matador de dragões e diz estar interessado em caçar um meio-dragão vermelho que teria aparecido na cidade para vender sua pele, sangue e órgãos. Kael duvida da índole do matador de dragões, mas sabendo que dragões cromáticos são geralmente malignos, resolve procurar a criatura para investigar.
Longe dali, Portyr discute com Solomon seus reais interesses em ajudar o templo de Kelemvor: ele deseja uma espada muito valiosa que está nas catacumbas e, se Solomon a roubasse, estaria disposto a recuperar os negócios da família do feiticeiro. Solomon aceita antes de poder ser interrompido por Bale, que chega para se apresentar. Bale e Solomon combinam com Portyr em espalhar cartazes na cidade para juntar candidatos ao grupo de busca. Portyr oferece até 10000 peças de ouro para que a missão seja cumprida e fica estabelecido que, na manhã seguinte, os candidatos se apresentariam no templo de Kelemvor. Bale e Solomon retornam ao templo para falar com o alto sacerdote.
Após ajudar Lavi, Draax se sente orgulhoso e decide continuar em sua tentativa de se tornar um aventureiro. Porém, a halfling o convence de que ela ainda está em perigo e o meio-dragão a leva consigo até uma taverna. Enquanto Draax olha os anúncios em busca de uma aventura, Lavi encomenda o melhor quarto disponível. A princípio, o meio-dragão reluta em pagar pela extravagância, mas a lábia de Lavi o convence. A cena é presenciada por Kael, que não teve dificuldade em encontrar o meio-dragão vermelho, mesmo em uma Baldur’s Gate lotada. Convencido de que Draax não é perigoso, Kael decide alertá-lo de que ele seria caçado na cidade. Draax interpreta aquilo como uma ameaça e se levanta para empurrar o homem, mas algo no olhar dele o faz hesitar. Kael reitera seu aviso e deixa a taverna.
Irtak e Elazar chegam em Baldur’s Gate e são recepcionados pelos guardas. O mago apresenta uma carta, dizendo que ele é requisitado pela escola de magia da cidade. Irtak decide revelar a Elazar o motivo que o trouxe a Baldur’s Gate: ele estaria em busca de um culto de Malar, a deusa maligna da caça. Para surpresa do druida, descobre que Malar possui um templo na cidade e é permitida, embora não se tenha notícias de atrocidades cometidas em seus cultos. O elfo percebe que não iria conseguir encontrar um culto secreto em uma cidade tão grande sozinho, e pede a Elazar um local para dormir. Os dois se dirigem até os alojamentos do mago.
Bale e Solomon conversam com Gavaror sobre os possíveis candidatos ao grupo de busca. Solomon questiona a existência uma entrada alternativa às catacumbas e disfarça uma busca pelo templo para tentar espionar o alto sacerdote. Gavaror chama Bale para uma conversa particular, mas percebe um corvo, familiar do feiticeiro, à espreita e espanta a criatura. Ele explica ao paladino que o grupo que entraria nas catacumbas, poderia tentar roubar os tesouros que existiam lá dentro, e que Bale não deveria permitir que os pertences dos mortos fossem levados. O alto sacerdote revela a Bale que, apesar de ser escolhido pelo deus da morte como alto sacerdote, ele não é um clérigo.

Comments

Isso ficou demais!

Resumo - Sessão 1
 

Ficou muito bom mesmo.

Resumo - Sessão 1
marcelocamarcelo

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.